O diretor geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman, admitiu em palestra na Câmara de Comércio França-Brasil que o País poderá ter racionamento de energia elétrica nos próximos anos. Se isso vier a acontecer, porém, será diferente do registrado em 2001, quando houve corte de energia para todo tipo de consumidor.

Na eventualidade de vir a faltar, Kelman prevê que o problema ficará restrito aos cerca de 600 grandes consumidores que migraram para o mercado livre. "Espero que o País não venha a precisar fazer corte de energia como observado em 2001. Mas, se for necessário, ficará restrito aos consumidores livres", afirmou.

Segundo ele, embora o universo se restrinja a apenas 600 grupos empresariais, os consumidores livres já respondem por quase 30% do consumo total de energia elétrica no País. Na sua palestra, o diretor-geral da Aneel destacou a questão do gás natural na matriz energética e disse que "o assunto está sendo resolvido".