Cerca de 2.500 trabalhadores rurais sem-terra, ligados a quatro movimentos sociais – MST, CPT, MLST e MTL – realizaram uma grande manifestação em defesa da reforma agrária e contra a grilagem de terras em Alagoas. O ato público, seguido de passeata, aconteceu na cidade de Murici, a 59 quilômetros de Maceió. Os manifestantes ameaçaram invadir a fábrica de refrigerantes da Schincariol, o Cartório, o Fórum e a Prefeitura do Município, cujo prefeito, Renan Filho, é filho do senador Renan Calheiros, presidente do Senado. Entre os manifestantes estavam parte das 400 famílias de sem-terra que invadiram ontem a fazenda Boa Vista, do deputado federal Olavo Calheiros, irmão do senador.

As lideranças dos movimentos denunciam a família Calheiros de grilagem de terras e vão entrar com uma ação na Justiça exigindo intervenção no Cartório de Murici. Eles denunciam a dona do Cartório, Maria de Lourdes Ferreira Moura, de falsificar escrituras e certidões para "legalizar" terras griladas pela família do presidente do Senado. "Em 2005, ocupamos esse cartório para perguntar a dona Lourdes onde estão as escrituras da terras das usinas falidas, que devem ao INSS e ao Banco do Brasil, mas tomamos conhecimento que a documentação tinha sido desviada", afirmou Carlos Lima, coordenador da Comissão Pastoral da Terras (CPT). "Por isso, agora não resta outra alternativa senão pedir intervenção nesse Cartório", acrescentou Lima.