Brasília

– O senador e ex-governador da Paraíba Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB) admitiu ontem ao ministro Moreira Alves, do Supremo Tribunal Federal (STF), durante interrogatório de aproximadamente uma hora e meia, que, em dezembro de 1993, atirou em seu adversário político Tarcísio Buriti, também ex-governador do Estado.

Cunha Lima disse que agiu em legítima defesa, porque Buriti estaria ameaçando e ofendendo publicamente a ele e sua família. “Ele dizia que onde me encontrasse atiraria em mim e que treinava tiro ao alvo com a minha fotografia na Academia de Polícia Militar”, contou o senador.