O candidato da Grande Aliança (PSDB-PMDB), José Serra, começou hoje à tarde (10), no horário eleitoral gratuito na TV, os ataques a Luiz Inácio Lula da Silva  candidato da coligação Lula Presidente (PT/PL/PCdoB/PMN/PCB). Serra questionou se o petista ?estaria preparado para governar o Brasil?.

O programa de Serra começou hoje com a locutora exaltando os resultados das últimas pesquisas do Ibope e Datafolha que consolidaram o presidenciável tucano em segundo lugar. ?É o mais forte para disputar com Lula o segundo turno?  disse ela. ?Quem é o mais preparado para gerar os empregos que o País precisa: Serra ou Lula??, completou.

O programa da tarde de Serra no horário eleitoral mudou o formato. Até então, era feito uma espécie de telejornal, em que Serra aparecia pouco durante a tarde. Ele falava mais com o eleitor na propaganda da TV transmitida de noite. Hoje, Serra apareceu quase todo o tempo, e a apresentadora Valéria Monteiro foi substituída pela atriz Vida Alves, que deu o primeiro beijo na televisão.

O tema foi a terceira idade. ?Não basta viver mais, tem de viver melhor?, afirmou Serra. O programa destacou todas as ações de Serra para os idosos, feitas quando foi ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso. Serra falou das campanhas contra gripe, do programa médico da família, da realização de mutirões que diminuíram as filas para cirurgias como as de varizes e cataratas. Serra lembrou também que quando ministro conseguiu baixar o preço dos remédios por meio dos genéricos e que baixou os impostos relativos aos medicamentos de uso continuado, que são muito consumidos pelos idosos.

Depois, apresentou algumas propostas para a terceira idade, como a organização de programas de capacitação voltados para idosos, a criação de um passaporte e de um banco de talentos para a terceira idade. O primeiro seria um cartão magnético que daria descontos para os idosos em medicamentos, lazer, cursos, turismo, transporte. O segundo seria um banco de dados com currículos de pessoas já aposentadas, mas que poderiam ainda trabalhar, ajudando a escola ou hospital do bairro, por exemplo.