Serra: candidatura começa a ficar forte.

São Paulo (AE) – O pré-candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, reagiu em pesquisa do Instituto Vox Populi, divulgada ontem e cresceu 4 pontos, enquanto o pré-candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, teve pequena queda de 2 pontos. Anthony Garotinho (PSB) também sobe 1%. Com isso, Lula se mantém em primeiro lugar com 40%, Serra se consolida no segundo com 20% e Garotinho se distancia em terceiro com 14%. Ciro Gomes (PPS), que caiu três pontos, continua em quarto com 9% e Enéas Carneiro (Prona) em quinto com 2%.

Esta pesquisa, encomendada pelo PSDB e realizada entre os dias 29 e 30, é a primeira do instituto após a escolha da deputada Rita Camata (PMDB-ES) como vice do tucano. Foram ouvidas 2.001 pessoas. A margem de erro, segundo o instituto, é de 2,2%. Na pesquisa anterior, Lula tinha 42%, Serra 16%, Garotinho 13% e Ciro, 12%. O Vox Populi tem um resultado bastante diferente da última pesquisa Sensus, divulgada no dia 27. Nela, Serra aparecia em terceiro lugar com 13,3%, atrás de Garotinho, com 16,5%. Apesar das diferenças, para um dos coordenadores de marketing da campanha tucana, Nelson Biondi, o levantamento não trouxe novidades. “Foi a Sensus que trouxe novidades”, afirma.

Na época, assessores de Serra criticaram a metodologia do Sensus. Biondi diz que acompanha o desempenho dos candidatos por um “tracking” diário por telefone, que estaria mostrando pouca alteração no quadro sucessório. Segundo o publicitário, uma empresa terceirizada entrevista 400 pessoas diariamente. “A curva de Ciro e Garotinho parece eletrocardiograma de morto e a de Serra varia sempre, entre 19% e 20%”, garante o marqueteiro. Para ele, a tese de que as denúncias envolvendo o ex-diretor do Banco Brasil e ex-arrecadador de dinheiro em campanhas tucanas Ricardo Sérgio de Oliveira teriam destruído a candidatura de Serra não se concretizou. “Não colou”, diz Biondi, ressaltando que apenas uma pequena parcela da população ouviu falar do caso.

Biondi atribuiu o crescimento de Serra à exposição em comercias de TV, veiculados no final de maio. Nesse momento, opina o publicitário, as pesquisas oscilam de acordo com a exposição dos candidatos na mídia. “Vamos ver como ficará lá na frente, com o voto racional.” No entanto, a pesquisa mostra que 55% dos entrevistados já decidiu o voto. Outros 24% se dizem “quase decididos”. Biondi avalia, ainda, que a escolha de Rita como vice não interferiu nos números, mas ajudou a criar uma agenda positiva para Serra.

É forte

A queda em dois pontos percentuais do pré-candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de acordo com os resultados da pesquisa Vox Populi divulgada ontem, não surpreendeu os integrantes do partido. Para os petistas, o resultado não supreendeu e a queda de Lula em dois pontos está dentro da margem de erro. A pesquisa mostrou que Lula ainda lidera a disputa, com 40% das intenções do voto. No levantamento anterior, Lula tinha 42%. “É muito bom estar na frente, mas a campanha ainda não começou e não vamos calçar salto alto”, ponderou o líder do PT na Câmara, João Paulo Cunha (SP), ao reconhecer que a candidatura do tucano José Serra à Presidência é forte.

O senador Saturnino Braga (RJ) avalia que o resultado é um alerta: “Neste momento, tudo deve ser interpretado como advertência porque a luta é contra gigantes e temos de nos preparar para o segundo turno.” Para o senador José Eduardo Dutra (PT-SE), a pesquisa indica que o segundo turno será entre Lula e Serra. “Essa é a tendência natural porque o governo não se permitiria ficar fora do segundo turno, mas a candidatura Lula está bem consolidada”, disse. Já o deputado José Genoíno (SP) não vê novidades na pesquisa. “O crescimento do Serra não nos assusta, mas também não estamos comemorando resultado de pesquisa”, observou. “Os nossos ferozes adversários não vão esperar a nossa vitória sentados e sonolentos, vão se esforçar até o final”, completou a senadora Heloísa Helena (AL).