São Paulo

– O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra prometeu ontem, “muitas surpresas”, até domingo, dia do segundo turno das eleições, que garanta a virada e sua vitória na disputa com Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo ele, a principal estratégia da campanha tucana nesse momento, há três dias da eleição, é acionar os prefeitos que o apóiam e pedir que cada um consiga pelo menos mais um voto. “Estamos trabalhando animadamente. Hoje (ontem) estou falando pelo telefone com dezenas de prefeitos que a gente procura, porque a eleição depende muito do que está acontecendo nos municípios do Brasil, inclusive nos médios e pequenos”, declarou.

“A eleição não está decidida, vai ter muita surpresa daqui até domingo, como já houve, até certo modo, no primeiro turno.” Serra concedeu entrevista exclusiva para três emissoras de TV. O tucano deixou de fora, vários repórteres de rádio e mídia impressa, que aguardavam o pronunciamento do candidato na porta da produtora em que grava o horário eleitoral gratuito, na Vila Leopoldina. A assessoria de imprensa do tucano não soube explicar o motivo da exclusão. Aparentemente, tratou-se de decisão pessoal de Serra. “Confio na mobilização e sei que a eleição só se decide na urna.”

Quando questionado sobre a hipótese de apresentar “fato novo”, que pudesse alterar os resultados aferidos pelas pesquisas de intenção de voto, desconversou. “O fato novo é a ventania e a mobilização (capaz de levá-lo à vitória)”. Repetida a pergunta, disse que se contasse a “novidade” antes, “perde a graça”.