São Paulo – O Partido dos Trabalhadores e seu candidato à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, voltaram a ser duramente atacados pelo comando da campanha de José Serra (PSDB/PMDB) durante o programa eleitoral gratuito na TV veiculado neste sábado às 13 horas. Os marqueteiros do tucano gravaram depoimento com Renata Covas, filha de Mario Covas, nesta sexta-feira (20 de setembro), culpando o presidente do PT, José Dirceu, de ter incitado os professores paulistas, em greve, a agredir o então governador, há pouco mais de dois anos.

A filha do ex-governador, falecido no início de 2001, conta em seu depoimento que, no dia 19 de maio de 2000, Covas havia ido para a inauguração de um Poupa-Tempo em São Bernardo do Campo (SP), onde seu pai fora então agredido com o mastro de uma bandeira. No dia 25 de maio, durante uma concentração no Palácio dos Bandeirantes, relata ainda a filha do ex-governador, o presidente do PT havia feito essas declarações de que o governo (nesse caso paulista) teria de apanhar nas urnas, por ser ano eleitoral, e nas ruas, segundo Renata, fazendo menção ao dia 19 de maio quando recebera a ´bandeirada´”.

Renata Covas acredita que esse fato teria deflagrado, no início de junho de 2000, na Praça da República, em São Paulo, a violenta agressão contra seu pai. “Não preciso nem dizer para vocês que essa época foi um período em que ele (Mario Covas) estava doente e já tinha sofrido uma cirurgia; e aquilo não tomou proporções mais graves porque Deus não quis”, afirma Renata. No depoimento, com certo apelo dramático, Renata diz ainda que seu pai havia sido cassado para que as pessoas tivessem o direito de manifestar a sua vontade e suas idéias. “Mas aquilo me deixou triste”, diz.

Embora sem voltar a citar a falta de diploma do candidato petista, o programa de Serra insiste na “falta de experiência” de Lula. “Quando falamos em preparo e experiência não é para desqualificar o Lula. Todo jovem deseja ter experiência para ter a cesso a um bom emprego. Se o Lula nunca desejou ter experiência administrativa é problema dele. Agora, alguém querer que sua experiência seja logo a Presidência da Republica, isso é um problema nosso.”

O comando da campanha do tucano ainda acusa Lula e seu partido de esconderem deliberadamente da sociedade o que pretendem fazer. Os tucanos chamam o PT para um debate no segundo turno das eleições como se Lula e Serra já estivessem mesmo superado a primeira fase. “É por isso que é tão importante o debate entre Lula e Serra no segundo turno. Porque no segundo turno, com Lula e Serra frente a frente, o PT vai ter de debater seriamente o que realmente pensa e quais são as suas propostas”, diz o programa. Para o comando de Serra, hoje o PT quer do eleitor um cheque em branco.