Brasília – A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) afirmou nesta quarta-feira (16) que aguarda uma posição oficial do governo sobre o reajuste salarial para a categoria prometido para este ano. A possibilidade de greve não é descartada pela instituição.

De acordo com o secretário-geral da Condsef, Josemilton Costa, caso as negociações sejam interrompidas, poderá haver greve em vários setores públicos. ?Se o governo romper com a negociação, na plenária de fevereiro [reunião da categoria], vamos definir um calendário de mobilização e com certeza vamos ter greve ainda em março de 2008?, disse.

Com os cortes que serão feitos no Orçamento, por causa da não-aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o aumento salarial dos servidores públicos poderá não sair este ano.

De acordo com o representante da Condsef, no próximo dia 23, haverá uma reunião com o Ministério do Planejamento para que o governo apresente uma proposta de negociação com a categoria.

?O governo deve oficializar como devem ser as negociações daqui pra frente. Após essa oficialização é que vamos decidir como será feita a nossa organização?, disse.

Ele também afirmou que a categoria "não abre mão" das negociações sobre o aumento salarial dos servidores públicos filiados à confederação. Para Costa, a continuidade das negociações é fundamental para corrigir as distorções que existem na tabela de vencimentos dos servidores.

No último dia 10, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que não há clima para tratar do reajuste dos servidores públicos. O ministro considerou que por causa do corte que deverá ser feito com a perda da CPMF o governo está ?impedido de fazer esse tipo de discussão?.