Com apoio policial, agentes da Prefeitura do Rio de Janeiro detiveram um total de 26 moradores de rua, todos maiores de idade e “em atitude suspeita”, neste sábado (09), nos arredores do Museu de Arte Moderna (MAM), no Aterro do Flamengo, região central do Rio, e na zona sul da cidade. O número de prisões divulgado mais cedo era de 14. A ação faz parte de uma operação da Secretaria de Ordem Pública (Seop) com o apoio de guardas municipais.

Os detidos foram levados para averiguação na 10ª Delegacia de Polícia (Botafogo), onde foi constatado que 19 deles já tinham passagem pela polícia por roubo, furto e tráfico de drogas. Parte já havia sido liberada à tarde, segundo a Polícia Civil.

A ação foi iniciada às 8h e contou com o apoio de agentes do 2º Batalhão da Policia Militar (Botafogo). A fiscalização percorreu o Parque do Flamengo, Praia de Botafogo e Laranjeiras. Na ação, dois menores foram acolhidos e encaminhados para abrigo.

Na sexta (8), a operação da Seop já havia resultado em 12 pessoas detidas no Aterro, quatro delas com passagens pela polícia devido a roubos e furtos. Também foram encontradas cinco facas e uma tesoura, além de três trouxinhas de maconha. Outros 16 moradores de rua, dois deles menores, foram recolhidos para abrigos da Prefeitura.

“Estamos intensificando as ações de ordenamento no Parque do Flamengo e entorno. A Ordem Pública vem trabalhando de forma integrada com outros órgãos que também atuam na região”, disse Marcelo Maywald, subsecretário de Ordem Pública, em nota.

A suspeita é de que o Parque do Flamengo sirva de base para quadrilhas que praticam roubos na região central e em bairros próximos. No dia 30 de abril, um homem de 52 anos foi esfaqueado por assaltantes na Avenida Rio Branco, uma das principais vias do centro do Rio. Os dois suspeitos, detidos na quarta-feira (06), foram reconhecidos no dia seguinte pela vítima.