O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu nesta terça-feira (7) habeas-corpus a 36 pessoas presas na segunda fase da operação Furacão da Polícia Federal, segundo nota publicada no site do STF. Inicialmente, era julgado o pedido de soltura apenas de Júlio César Guimarães Sobreira, sobrinho de Ailton Guimarães Jorge, o "Capitão Guimarães". Porém ao aceitar esta solicitação, o ministro estendeu sua decisão a todos os denunciados no caso.

Para Marco Aurélio, o enfoque dado pela juíza que determinou a prisão dos denunciados contraria a ordem natural das coisas. A decisão dela teria se baseado na possibilidade de os acusados voltarem a cometer os crimes pelos quais são investigados. O ministro, no entanto, considerou que as denúncias ainda estão sendo apuradas. Segundo ele, deve-se primeiro apurar com rigor, para posteriormente punir. Marco Aurélio determinou a expedição de alvará de soltura a todos os indiciados, caso eles não estejam presos por outras razões. Os beneficiados com a decisão deverão deixar seus passaportes na Sexta Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, onde tramita a ação, e não podem sair do Estado.