Depois de oito dias de depoimentos – que somam mais de cem horas – dos presos pela Polícia Federal na Operação Navalha no Superior Tribunal de Justiça (STJ), os documentos do inquérito, juntamente com os depoimentos dos supostos envolvidos, serão enviados nos próximos dias ao Ministério Público Federal (MPF) para a produção e análise das provas em conjunto com a PF.

Os depoimentos das pessoas investigadas na Operação Navalha, deflagrada pela PF, foram acompanhados todos os dias por representantes do MPF e da Polícia. Durante os depoimentos, foram utilizadas as provas digitais colhidas (gravações e vídeos), as mesmas que motivaram o pedido de prisão preventiva decretado pela ministra do STJ Eliana Calmon.

Depois dos depoimentos, requeridos pelo Ministério Público, o STJ devolve os autos do inquérito ao órgão ministerial para que aconteça a apresentação de denúncia. Somente após o oferecimento da denúncia é que os autos retornarão ao STJ para que a ministra elabore o seu voto e relatório para submeter a questão à Corte Especial, iniciando a fase judicial.