A TAM informou, por meio de nota, que o Airbus A320 está em Londrina para a substituição do capô da turbina, que teve um defeito detectado após o vôo JJ 3331, com 148 passageiros, ter pousado em Londrina às 22h17, em função do fechamento do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Nenhum vôo foi programado para a aeronave.

O Airbus A320, da TAM, prefixo PR-MBO, semelhante ao que se acidentou no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no dia 17, fez um pouso não programado, por volta das 21h30 de segunda-feira, no Aeroporto de Londrina, no norte do Paraná. O avião ia de Salvador para Curitiba, e, depois de uma escala em Cumbica, parou em Londrina. Embora o Aeroporto Afonso Pena estivesse fechado naquele momento e a parada fosse necessária, o avião também apresentou o problema.

A denúncia sobre esse problema foi passada ao procurador da República em Londrina, João Akita Omoto, por um passageiro que não se identificou e mandou apenas um correio eletrônico. O procurador pediu que a Polícia Federal fizesse uma vistoria, o que aconteceu ontem. Segundo a assessoria do Ministério Público Federal, a TAM comunicou ao procurador que o problema na carenagem poderia ser corrigido preliminarmente com o uso de uma fita de alumínio, o que permitiria o retorno a São Paulo para o conserto definitivo.

No entanto, em razão dos problemas registrados ultimamente no transporte aéreo, Omoto fez uma recomendação para que o conserto fosse realizado no local onde a aeronave estava. A recomendação foi aceita pela TAM. Em função do problema de falta de teto no Aeroporto Afonso Pena e do reparo na aeronave, muitos passageiros que estavam no vôo e chegariam em meia hora a Curitiba, tiveram que enfrentar seis horas de estrada em ônibus.