A TAM informou que o atraso em um vôo para Fortaleza nesta madrugada foi provocado pela necessidade de tomar medidas de segurança, em razão da suspeita de atentados na Grã-Bretanha. A Polícia Federal teve de retirar os 33 passageiros que se recusaram a deixar a aeronave, em protesto contra o atraso de cerca de seis horas na viagem para Fortaleza.

Em nota divulgada hoje, a companhia aérea alega que foi necessário verificar "uma das travas de segurança da cabine da tripulação técnica (comandantes e co-pilotos) da aeronave que efetuava o referido vôo para efeitos de comparação de seu funcionamento com uma outra aeronave que faria uma linha internacional". Segundo a empresa, a trava "é obrigatória nos aviões de rotas internacionais, conforme determinação da Organização de Aviação Civil Internacional".

A TAM informou que a aeronave também não pôde decolar por conta do fechamento do terminal de Guarulhos. Segundo a TAM, os passageiros foram atendidos nos vôos JJ 3300, que partiu às 12h27 desta terça, e JJ 9354 (Guarulhos/Recife/Fortaleza/Natal) programado para 12h30