O taxista Paulo Soares, pai do menino João Roberto, morto aos 3 anos numa ação desastrada da Polícia Militar (PM) do Rio, em julho de 2008, participa de um protesto no centro da capital fluminense. Vestindo uma camisa preta com a foto de João, Soares carrega um cartaz com os dizeres “A certeza da impunidade aumenta cada vez a corrupção”.

Ele disse que, além do transporte público, o povo tem de lutar pela melhoria da saúde, educação e segurança pública. “Os dois PMs que mataram meu filho foram absolvidos. Temos de lutar para que esse tipo de injustiça não aconteça mais no nosso País. Não aguentamos mais”, afirmou. Soares está na concentração perto da Igreja da Candelária.

As quatro pistas da Avenida Presidente Vargas estão fechadas para a manifestação, marcada para começar as 17 horas. A Avenida Rio Branco também está fechada ao tráfego. Os manifestantes levam centenas de Bandeiras do Brasil e gritam palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral (PMDB).