Brasília – O Tribunal de Contas da União está investigando suspeitas de fraude em uma das maiores licitações feitas pelo Ministério da Saúde, a compra de medicamentos para hemofílicos no valor de US$ 36 milhões. As denúncias começaram em 6 de março, dia da abertura dos envelopes da licitação. Na ocasião, uma das participantes da disputa, a Baxter Export Corporation, afirmou haver indícios de que os envelopes com as propostas haviam sido abertos antes da sessão oficial.

Laudo feito pela Polícia Federal demonstrou haver indícios de que o lacre de uma das concorrentes fora aberto. Não o da Baxter, que ficou em segundo lugar da disputa, mas o da quarta classificada. “É um caso gravíssimo. Não há como afirmar onde houve a abertura do lacre, mas todo o processo precisa ser investigado com o maior rigor”, afirmou o ministro do TCU Augusto Sherman Cavalcanti, relator do processo.