Os técnicos paranaenses que trabalharão no Rio de Janeiro são José Carlos Moraes, da 17ª Regional de Saúde (RS), com sede em Londrina, e Raimundo Carvalho Franco Reis Filho, da 15ª RS com sede em Maringá. De acordo com o diretor da 17ª RS, Adilson Castro, são técnicos que possuem elevado conhecimento, grande experiência e vão colaborar na supervisão das ações de combate ao mosquito transmissor da dengue naquele Estado?. O envio dos técnicos ao Rio atende à solicitação da superintendência em Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Os técnicos devem ir para o Rio de Janeiro a partir desta terça-feira (8). De acordo com o técnico da 15ª RS, os trabalhos que ele desenvolverá será de supervisão e acompanhamento das equipes que utilizam o equipamento pesado (fumacê). ?É um grande mérito para nós, os profissionais de saúde, e para o Estado, por contar com técnicos capacitados e ser referência para o Ministério da Saúde?, disse Reis Filho.

Segundo ele, o trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro será bastante complicado. ?Existem muitos obstáculos como o relevo geográfico, as favelas e a violência. Mas sempre superamos isso e conseguimos um excelente trabalho?, conta. Raimundo já foi quatro vezes ao Rio de Janeiro para prestar consultoria e assessoria a pedido do Ministério da Saúde.

Para o chefe da Divisão de Informações e Planejamento da 17ª RS, José Carlos Moraes, a participação do Paraná e de outros Estados é muito importante para ajudar no combate à dengue. ?Estamos ajudando o Rio de Janeiro e também ao Brasil, evitando que essa doença se prolifere para outros Estados?, disse. Para ele, o Paraná tem feito um trabalho muito importante para evitar que muitos casos ocorram. Moraes atuará na área de assessoria, monitoramento e acompanhamento das equipes estaduais do Rio de Janeiro nas ações de campo, na mobilização social e educativa e na aplicação de inseticidas.

Médicos

O Governo do Paraná, em conjunto com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), atendeu à solicitação do Governo do Estado do Rio de Janeiro e enviou os quatro primeiros médicos e um professor para ajudar no atendimento aos pacientes com suspeita de dengue. Os médicos são residentes de Pediatria do Hospital de Clínicas do Paraná. Serão enviadas equipes de cinco médicos por semana. Ao todo já são 40 médicos residentes cadastrados para ajudar no combate à dengue.