Foto: Agência Brasil

Michel Temer: tem que sair.

O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), deu ontem, em São Paulo, um ultimato aos ministros filiados ao partido para que deixem o governo, tão logo se conclua a prévia da legenda. Para o presidente nacional do PMDB, a saída dos ministros faz-se necessária por ter sido aprovada a candidatura própria do PMDB a presidente. "Não tem sentido ter candidato próprio já escolhido com ministros do PMDB no governo", afirmou. Segundo Temer, se isto não ocorrer, a sigla deve exigir a saída dos peemedebistas da equipe da administração federal.

"Logo que terminem as prévias, o PMDB vai reunir sua executiva e, possivelmente, o Conselho Político para exigir que os ministros saiam do governo", afirmou, durante o ato de oficialização de apoio do diretório paulista da agremiação à pré-candidatura presidencial do governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB).

Temer disse achar legítima a tentativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em formar uma aliança com o PMDB, mas criticou qualquer ação que aponte para a formação de uma chapa única. "A vontade do presidente Lula, de querer fazer uma aliança com o PMDB, é legítima. Ilegítimo é procurar governadores e lideranças do PMDB sabendo que o partido, em convenção nacional, já se decidiu por candidatura própria."

Temer lembrou a resolução aprovada pela executiva nacional que prevê a candidatura do segundo colocado nas prévias caso o primeiro retire o seu nome.