O Ministério de Minas e Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) trabalham na elaboração de medidas que dêem mais segurança às usinas termelétricas movidas a gás natural que participarão dos leilões de energia nova a serem realizados este ano.

Segundo o ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, foi justamente para concluir a elaboração desses mecanismos que o governo decidiu adiar, novamente, a data prevista para a realização dos leilões de energia nova. Na sexta-feira, o governo anunciou que o leilão de contratos para fornecimento a partir de 2010 (A-3) passou do dia 10 de julho para 26 de julho. Já o leilão de contratos para venda a partir de 2012 (A-5) ainda não tem data definida, mas, segundo Hubner, deve ser realizado em agosto.

O diretor-geral da Aneel, Jerson Kelman, lembrou que muitas usinas termelétricas queixaram-se das penalidades estabelecidas pela agência para usinas que não gerarem, quando forem solicitadas, a energia que venderem no leilão. "Alguns agentes dizem que essas precauções que a Aneel adotou estariam afastando a possibilidade de elas entrarem no leilão. Nós estamos examinando esse assunto com uma ótica de que devemos fazer todo o esforço possível para compatibilizar o setor elétrico com o setor de gás", disse Kelman.