Belém (

AE) – O motorista Valderes Tavares da Silva denunciou estar jurado de morte por policiais militares que estão sendo julgados em Belém pela morte de 19 lavradores sem-terra em Eldorado dos Carajás, no Sul do Pará. Ele é testemunha da acusação no julgamento e, com seu relato, já contribuiu para as condenações do coronel Mário Pantoja a 228 anos de prisão e do major José Maria de Oliveira a 158 anos. Amanhã, sentam no banco dos réus 17 tenentes, sargentos e cabos. Silva foi arrolado como testemunha pelo Ministério Público. O juiz responsável pelo julgamento, Roberto Moura, determinou a inclusão do motorista no programa de proteção a testemunhas do governo paraense.