Rio – Três pessoas foram baleadas na manhã de ontem durante um tiroteio entre policiais e traficantes nas favelas da Rocinha e do Vidigal, zona sul. Segundo a Polícia Militar, José Vilar Ximenes e Otávio Pereira Camilo, os dois com 25 anos, são moradores da Rocinha e foram atingidos por balas perdidas quando voltavam do trabalho. O terceiro ferido é um inspetor, identificado apenas como João, que foi atingido por estilhaços na axila na ação do Vidigal. As operações simultâneas começaram no início da manhã e mobilizaram cerca de 350 policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e militares do Batalhão de Choque, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Grupamento Tático Móvel, do 23.º Batalhão (Leblon) e de outras unidades. Há oito meses, a Rocinha e o Vidigal, que são favelas vizinhas, disputam o controle do tráfico de drogas. A Polícia Militar se concentrou na Rocinha e foi recebida a tiros pelos criminosos, que lançaram fogos de artifício para anunciar a chegada dos policiais no morro. Dentro de uma lata de lixo, foram encontrados dois quilos de maconha e uma bomba de fabricação caseira. "Essa operação foi montada para reprimir o tráfico de drogas", disse o coronel Romilton de Souza Corrêa, que comandou a ação.