Rio – Uma pesquisa feita com presidiários do Rio de Janeiro revelou que 80% dos homens de 18 a 30 anos são condenados por tráfico de drogas. Entre as mulheres, esse crime é responsável por 60% das condenações. A maconha continua a ser a droga mais consumida, mas as chances de o preso usar cocaína na prisão sobem 13% a cada ano. Os dados, colhidos entre agosto de 2002 e março de 2003, foram divulgados ontem pela Superintendência de Saúde da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

Essa é a mais recente pesquisa realizada pelos assistentes sociais e psicólogos do Plano Individualizado de Tratamento Penitenciário (PIT), que faz o estudo da dependência química com os presos há quatro anos. Segundo o médico Edison José Biondi, superintendente de saúde da Seap, o objetivo é traçar o perfil biopsico e social dos homens e mulheres que chegam à prisão, verificando seu histórico com as drogas. Foram ouvidos 1624 homens e 138 mulheres dos presídios Ary Franco (masculino) e Nelson Hungria (feminino).