Os 14 presos que sobreviveram ao incêndio que matou oito detentos ontem numa cela da cadeia pública de Rio Piracicaba, em Minas Gerais, foram transferidos horas depois para outros locais segundo a Polícia Militar. Segundo os policiais, 22 homens estavam na cela, cuja capacidade é para 18 presos, quando começou o incêndio. As primeira investigações dos PMs apontam para a possibilidade de o incêndio ter sido causado por um curto-circuito.

Dos 14 presos, sete, que trabalham fora durante o dia, vão ficar provisoriamente no albergue municipal de Rio Piracicaba e os outros serão transferidos para a cidade vizinha de João Monlevade. O governo de Minas Gerais e a Prefeitura de Rio Piracicaba informaram que estão dando apoio aos parentes dos mortos e que as despesas com os sepultamentos serão custeadas pelo Estado. Os corpos dos presos que faleceram no incêndio já foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte. A Delegacia de Polícia de Rio Piracicaba não quis dar mais detalhes sobre o caso.