Três em cada quatro policiais brasileiros já sofreram ameaças por causa da atuação em combate ou de investigação de crimes, segundo pesquisa divulgada na quinta-feira, 30, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública. Os dados mostram que 75,6% dos policiais já foram ameaçados em serviço e 53,1% fora dele.

Por causa da sensação de estar em perigo, 92,7% dos policiais relataram observar o movimento da rua antes de entrar em suas residências; 87,4% afirmaram não sentar de costas para a entrada em locais públicos; e 84,2% disseram deixar de ir a locais das cidades onde moram.

A pesquisa, divulgada durante o 9° Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, no Rio, ouviu 10.495 agentes de segurança pública (policiais militares, civis, federais e rodoviários federais, mais bombeiros, guardas municipais e agentes penitenciários) de todo o Brasil.

O estudo revela que 70% dos policiais têm colegas vitimados por homicídio fora do trabalho e 61,9% têm colegas que foram mortos em serviço. A maioria dos agentes teme ser vítima de homicídio em serviço ou fora dele, ser ferido durante o exercício da profissão ou fora do trabalho, adquirir algum distúrbio incapacitante e psicológico.

Mais da metade dos entrevistados também disse que evita usar o transporte coletivo, sair à noite, chegar tarde em casa e repetir caminhos que percorre.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.