O candidato da Frente Trabalhista a presidente, Ciro Gomes (PPS-PDT-PTB), foi punido mais uma vez pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ministro Caputo Bastos decidiu cortar o tempo de Ciro na publicidade eleitoral gratuita por ter ele continuado a veicular imagens do presidente Fernando Henrique Cardoso nas campanhas de 1994 e 1998, sem indicar, corretamente, os partidos que compunham a coligação que então o apoiavam. A propaganda de Ciro omitiu que o PTB, que, atualmente  integra a Frente Trabalhista (que aderiu a ele) apoiava Fernando Henrique em 1998. Em conseqüência, Ciro será punido com a perda de quatro vezes o tempo destinado a essa cena, desde dia 3. O TSE não informou ainda quanto tempo isso representa, exatamente, pois a Rede Minas de Televisão, responsável pela geração da publicidade eleitoral gratuita, ainda fará os cálculos. Não haverá direito de resposta de Serra no horário perdido pelo candidato da Frente Trabalhista a presidente, que, entretanto, ainda poderá recorrer ao plenário do TSE, na tentativa de sustar a decisão.