Brasília – Os parlamentares do PT pressionaram ontem para que o presidente nacional do PSDB, senador Eduardo Azeredo, fosse convocado para depor formalmente à CPI dos Correios, depois de ter admitido que houve caixa dois em sua campanha para a reeleição ao governo de Minas Gerais. Criou-se, então, um impasse: os petistas só aceitavam a convocação de José Dirceu caso Azeredo fosse também convocado.

Irritados, os tucanos ameaçaram convocar Fábio Luis Lula da Silva, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para explicar a relação de sua empresa Gamecorp com a Telemar. Em represália, os parlamentares do PSDB propuseram ainda convocar os presidentes de todos diretórios do PT para ir à CPI dos Correios para explicar o recebimento de recursos das empresas de Marcos Valério Fernandes de Souza.

?Aqui não é o fórum adequado para se discutir financiamento de campanhas eleitorais?, alegou o deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ), ao defender a não convocação do presidente nacional do PSDB. ?O senador Azeredo fez um pronunciamento e compareceu espontaneamente à CPI. Vamos analisar a documentação que ele deixou?, disse Delcídio Amaral, que suspendeu a sessão da CPI dos Correios por duas vezes para tentar fechar um acordo.

Na sessão administrativa, a CPI dos Correios aprovou hoje a convocação de David Rodrigues Alves, que sacou cerca de R$ 5 milhões das contas da SMPB, agência de publicidade de Marcos Valério Fernandes de Souza, no Banco Rural. David irá depor hoje na CPI, logo depois de Simone Reis Lobo de Vasconcelos, diretora financeiro-administrativa da SMP&B. Simone retirou cerca de R$ 6 milhões em dinheiro das contas da SMP&B.