A turista colombiana Catalina Roncances, 28, ficou ferida na tarde de hoje após um táxi arrastá-la por alguns metros em frente ao hotel onde ficaria hospedada no bairro da Glória, no Rio. De acordo com Catalina, o motorista se recusou a dar o troco de R$ 4 da corrida. Ao ouvir a reclamação da turista, o taxista teria arrancado com o carro causando arranhões no peito, escoriações na mão, no rosto e na perna.

Ela estava acompanhada dos pais e de uma irmã e pegou o táxi no aeroporto Santos Dumont. A colombiana registrou queixa na Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), no Leblon, e foi encaminhada para o exame de corpo de delito.

Policiais da unidade informaram que a família conseguiu anotar a placa e o dono do carro já foi identificado, mas a vítima não o reconheceu como o motorista que a agrediu. Eles disseram ainda que, se constatados os ferimentos no exame, o taxista poderá ser indiciado por lesão corporal.

A família relatou ainda que já no aeroporto havia discutido com o motorista porque ele queria que a corrida fosse feita pela tabela e não pelo taxímetro, o que é proibido para os chamados táxis comuns. De acordo com a polícia, se algum motorista for flagrado obrigando os passageiros a pagar na tabela ele pode ser indiciado por exercício ilegal da profissão, entre outros crimes.