O movimento Unidos pela Vacina, liderado pela empresária Luiza Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, superou a marca de R$ 30 milhões em doações repassadas a cerca de 2 mil municípios brasileiros para garantir as condições de infraestrutura e logística na vacinação contra a Covid-19. Em balanço divulgado nesta terça-feira (22), o grupo defendeu a necessidade de manter o andamento da imunização para reduzir a mortalidade pela doença no país e destravar a economia.

O objetivo apontado nesse momento pelo grupo é alcançar 70% de brasileiros vacinados até o mês de setembro. Para isso, a meta é atender todos os municípios que se manifestaram sobre a necessidade de ajuda extra para imunizar a população durante a pandemia. O levantamento dessas demandas foi feito em pesquisa junto a todos os 5.570 municípios brasileiros. Deles, 4.200 (ou 75%) indicaram carências específicas a serem atendidas para viabilizar a vacinação.

LEIA TAMBÉM:

>> Xepa da vacina em Curitiba? Vereadores sugerem cadastro para maiores de 18 anos

>> Com vacinas quase no fim, Curitiba suspende novos grupos e faz repescagem

Com as ações já tomadas, 1.800 municípios foram diretamente amadrinhados por empresas doadoras e outros 240 receberam doações direcionadas pelo movimento. O valor disponibilizado é empregado na aquisição de equipamentos como câmaras frias e refrigeradores, para o armazenamento adequado das doses, computadores e outros. No total, 332 mil itens foram doados desde o lançamento da iniciativa, em fevereiro. Todo o processo é feito sem a circulação de dinheiro entre os envolvidos e conta com ações de compliance para evitar desvios.

Maria Fernanda Teixeira, co-fundadora do Grupo Mulheres do Brasil, destaca, entretanto, que metade das cidades mapeadas ainda precisa de apoio, principalmente no Norte e no Nordeste. Pontos fora da curva nessas regiões são estados inteiros adotados por empresas doadoras; é o caso do Amazonas, Pará e Tocantins, atendidos na íntegra por Coca-Cola, Natura e BRK Ambiental, respectivamente. Para alcançar as demais localidades, o grupo segue realizando ações em todos os estados na tentativa de angariar mais doadores e trabalha no direcionamento das novas doações para prefeituras que ainda carecem de ajuda, priorizando os municípios com IDH mais baixo.

O Unidos pela Vacina contabiliza mais de 230 doadores, grupo que inclui empresas de todos os portes e também pessoas físicas. Os valores doados por cada um não são revelados, mas segundo o próprio movimento alguns dos maiores doadores são BTG Patual, Accenture, Drogasil, MRV, Energisa, KPMG e o próprio Magalu.

Os integrantes do Unidos pela Vacina fizeram, forte defesa do que chamaram de “desmistificação da vacina”. Durante o evento, realizado online, Luiza Trajano revelou que foi imunizada com a Coronavac e afirmou que é preciso disseminar o entendimento de que todas as vacinas são boas, criticando posturas de preferência por fabricantes específicas. “Pensar no coletivo é pensar em si mesmo”, afirmou a empresária, ao lembrar que a imunização só é eficaz quando garantida em massa.

O grupo afirmou, ainda, que deve voltar esforços para a conscientização sobre o imunizante e a manutenção de medidas sanitárias de prevenção, como uso de máscara e correta higienização das mãos. Na avaliação de Eduardo Sirotsky Melzer, da EB Capital, “estamos conseguindo cumprir com o nosso papel de conscientização e mobilização. Ajudamos a fazer com que a vacina chegue da melhor forma possível ao braço das pessoas e a vacina salva. Salva vidas e a economia e é o nosso propósito”, concluiu.