Brasília – A cirurgia, iniciada por volta de 20 horas, durou cerca de um hora e foi tranqüila, mas houve a necessidade de anestesia geral. A operação, chamada de polipectomia nasal, foi conduzida pelo médico cirurgião Clemente Ribeiro de Almeida, sob a coordenação do médico cardiologista Roberto Kalil, do Incor, médico particular de Lula. O presidente passou bem a noite, segundo Kalil. Ele seguirá em recuperação, tomando remédios e ainda precisará realizar exames complementares. O material retirado, de cerca de 3 centímetros e localizado na fossa nasal esquerda, foi analisado e, segundo os médicos, é benigno. Não houve cortes na cirurgia, que usou a técnica de fibroscopia (conjunto de vídeo, câmera digital, pinça e cânulas para aspirar o resíduo). "Foi uma cirurgia tranqüila; ele dormiu à noite e acordou bem", disse Kalil, pouco antes da saída de Lula do hospital.