Balanço parcial da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a paralisia infantil (Poliomielite), que ocorre neste sábado (25), mostra que na parte da manhã, até às 12 horas, 3.447.671 crianças com idade até 5 anos de todo o País já receberam a dose da vacina. Conforme informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, o resultado representa cerca 20% da meta de vacinação, que é de 17,2 milhões de crianças.

Na primeira etapa da campanha, realizada em 16 de junho, o levantamento parcial da manhã indicava cobertura de 10% da meta. Segundo a assessoria do ministério, o nível de vacinação na segunda etapa da campanha aumentou na parte da manhã em comparação com a etapa anterior por causa da agilidade na transmissão das informações de municípios de alguns Estados, como Paraíba, Maranhão e Goiás.

Anteriormente, os dados precisavam ser primeiro repassados ao governo desses Estados. São Paulo já delegou aos municípios a responsabilidade de transmitir os resultados diretamente ao Ministério da Saúde desde as campanhas do ano passado.

Do total de 17,2 milhões de crianças a serem vacinadas, o governo estima que o mínimo projetado para manter a doença erradicada no País é de 16,3 milhões de crianças, ou 95% do total. O Brasil não registra casos de poliomielite desde 1989.

Em São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde pretende vacinar pelo menos 3 milhões de crianças. O número corresponde a 95% de adesão, meta a ser alcançada entre as 3,1 milhões de crianças paulistas nessa faixa etária. Na primeira etapa da Campanha, São Paulo superou a meta e chegou a de 96% de adesão.

O governador do Estado, José Serra, participou neste sábado de manhã da campanha, vacinando crianças no Parque Villa Lobos. Ele informou que foram mobilizados cerca 20 mil postos de vacinação (fixos e volantes) no Estado, que não registra casos da doença desde 1988. "Quem não puder vacinar neste sábado (25) tem a possibilidade de vacinar a criança no posto de saúde mais próximo de sua casa e deve fazê-lo com a maior urgência", disse o governador. Mesmo quem não foi aos postos na primeira fase deve ir agora.

Além da dose contra paralisia, as crianças poderão receber doses de vacinas que estejam em atraso na caderneta, como Tetravalente (contra difteria, tétano, coqueluche), Tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) e contra hepatite B.