Brasília (AE) – O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza voltou a dizer, no final da acareação realizada quinta-feira na CPI do Mensalão, que o deputado José Dirceu (PT-SP) sabia dos empréstimos para o caixa dois do PT quando era ministro da Casa Civil. "Que garantias o senhor tinha de que o empréstimo seria pago?", perguntou a deputada Zulaiê Cobra (PSDB-SP). "Sílvio Pereira e Delúbio me falaram que o ex-ministro José Dirceu sabia da operação", respondeu Marcos Valério.

Ele fez a revelação na presença de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, suspeito de ser, ao lado do empresário, o idealizador do esquema que ficou conhecido por "mensalão" – o pagamento de mesadas para que parlamentares da base do governo votassem a favor de projetos de interesse do Palácio do Planalto. Já era de madrugada. Tanto os parlamentares quanto os participantes da grande acareação feita pela CPI do Mensalão mostravam muito cansaço.

Dessa vez, ao contrário de outras, o ex-tesoureiro petista Delúbio Soares não defendeu Dirceu. Ficou quieto quando Marcos Valério implicou mais ainda o ex-ministro com o esquema que vem sendo investigado pelas CPIs dos Correios e do Mensalão e que podem resultar na cassação do mandato de 14 deputados, entre eles Dirceu.