O Whatsapp liberou a opção de videochamadas para seus usuários na semana passada. O serviço, parecido com os já oferecidos pelos Skype e Facetime, saiu da fase de testes e foi lançado para celulares que usam os sistemas Android, iOS e Windows Phone. No entanto, antes mesmo de chegar a todos os usuários do aplicativo, a função já se tornou chamariz para golpes.

De acordo com especialistas da empresa de antivírus Eset, somente nas primeiras horas de uma dessas campanhas que usa conteúdo “malicioso” para alcançar cliques, mais de 16 mil pessoas foram atingidas, quase 10 mil delas apenas no Brasil.

Foto: Divulgação Eset
Levantamento aponta regiões em que os golpes foram mais frequentes. Foto: Divulgação Eset

“É importante ter um cuidado redobrado ao receber mensagens inusitadas, além de instruir amigos e familiares a não caírem, nem propagarem esses golpes”, aponta o pesquisador em segurança Cassius Puodzius, da Eset, em artigo publicado no site da empresa.

Segundo ele, há um bom tempo muitas notícias sobre as videochamadas para WhatsApp vêm sendo utilizadas para aplicar golpes. “Seja com o intuito de promover grandes campanhas de fraude online ou mesmo para a propagação de malware”, descreveu.

A modalidade mais recorrente nestes golpes foi a de fraude online. “Apesar de oferecerem menor risco às vítimas (do que as campanhas que propagam malware), elas também podem acarretar perdas financeiras e outras adversidades, caso a pessoa que receba essa mensagem, por descuido e falta de atenção, caia no golpe”, explicou o especialista.

Não caia nessa

Exemplos de algumas campanhas fraudulentas. Foto: Reprodução
Exemplos de algumas campanhas fraudulentas. Foto: Reprodução

A opção de videochamada estará disponível no seu celular apenas com a atualização do aplicativo. Use sempre as lojas oficiais e não outras fontes, que podem pedir o envio de mensagens SMS ou induzir um clique em links desconhecidos. Você também pode atualizar as funções dentro do próprio aplicativo. Outra dica importante é prestar bastante atenção nas mensagens recebidas pelo Whatsapp e avaliar se são suspeitas.