Goiânia – O juiz da 10.ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, Adagmar José Ferreira, assinou, ontem, sentença que condena a ex-empresária Vilma Martins Costa a 8 anos e 8 meses de prisão, no regime semi-aberto. A sentença condena Vilma pela prática de três crimes: subtração do garoto Pedro Braule Pinto de uma maternidade em Brasília, parto suposto e falsificação de documentos. Pela subtração de Pedrinho, Vilma foi condenada a 1 ano e oito meses. Pelos demais crimes, a sentença foi de sete anos. A ex-empresária está presa na Casa de Prisão Provisória de Goiânia desde maio.