O lider do PSDB no Senado diz
estar de olho no presidente Lula.

Rio – O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse ontem, no Rio, que, no episódio da viagem da ministra de Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva, a Buenos Aires, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva “ou foi incauto ou foi Pinóquio”. Virgílio acha que a “ministra está liquidada”e que ele está “de olho no presidente Lula”. Segundo ele, há duas possibilidades: “O presidente disse que ela agiu com correção. Ou foi enganado ou corroborou com a inverdade.” O líder do PSDB no Senado esteve na capital fluminense para um encontro da Juventude Tucana e reconheceu que o partido não foi capaz de enfrentar o PT nas eleições de 2002. “Levamos uma surra”, disse.

Numa autocrítica do comportamento do governo tucano e do PSDB, Virgílio disse aos militantes jovens que a culpa foi dos políticos e não dos eleitores. “O povo cansou da gente, derrotou a gente. Escolheu outro e, antes do que eu imaginava, já está cansado. Mas não podemos subestimar o adversário. O PT é mais organizado, mais forte, tem mais militantes, embora com visão quase fascista, do pensamento único”, analisou. Ele disse que a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve “uma ótima política social e uma péssima comunicação social” e lamentou que os tucanos não tenham conseguido se aproximar da sociedade, apesar dos avanços ocorridos em oito anos.

No discurso cheio de ironias, Virgílio disse que Benedita dá a versão de que foi à capital argentina para uma reunião com a ministra de Desenvolvimento Social do país, Alicia Kirchner, mas que a razão era o Café da Manhã de Oração, encontro religioso do qual a ministra brasileira participou, no dia 25. “O motivo principal era uma reza. Parece nobre, mas, levando em conta que nós rezamos de graça, perde a nobreza”, afirmou o líder do PSDB.

Virgílio completou: “A meu ver, a ministra está liquidada. Mas continuar ou não no ministério tanto faz, porque o programa social do governo não funciona. Estou de olho é no presidente Lula.” O líder disse que o presidente é “flácido” com Benedita. “É grave ela ter ido rezar na Argentina e procurar, às pressas, a ministra Alicia Kirchner, é gravíssimo não aceitar devolver o dinheiro público e é mais que gravíssimo o presidente Lula ter assumido a mentira. Não aceitamos essa empulhação”, discursou.