Brasília – A governadora do Rio Grande do Norte, Wilma Maria de Faria (PSB), negou ontem, em depoimento no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que tenha uma conta bancária na Suíça. “Tudo isso é uma armação sórdida montada durante a campanha eleitoral”, disse, após depor ao ministro César Asfor Rocha, do STJ, que determinou em abril a quebra do sigilo bancário, fiscal e telefônico de Wilma. Ela entregou cópias de documentos que comprovariam que as acusações seriam uma fraude. O depoimento de Wilma, que durou cerca de uma hora, será incluído no inquérito existente no STJ para apurar suspeitas de crime contra a ordem tributária, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.