O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, disse nesta quarta-feira (25) que as novas medidas tomadas pelo Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac) dificilmente resolverão o problema do movimento excessivo nos aeroportos da capital paulista. A declaração de Zuanazzi foi feita durante depoimento na CPI do Apagão Aéreo da Câmara.

Segundo ele, há risco de o aeroporto de Guarulhos ficar sobrecarregado. "É evidente que vão ocorrer problemas", disse Zuanazzi. Apesar de questionar os efeitos práticos das medidas, Zuanazzi lembrou que "a agência tem obrigação de cumprir as resoluções do Conac".

Ele ainda afirmou que as mudanças são específicas para reduzir a sobrecarga em Congonhas. "As aeronaves vão continuar as mesmas. Os aspectos de segurança serão mantidos intactos. O aeroporto de Congonhas estava sobrecarregado e isso vai diminuir", afirmou.