Reuniões preparatórias realizadas nesta quarta-feira (9) no Palácio Iguaçu definiram algumas das metas a serem levadas ao governador Roberto Requião, que assume nesta quinta-feira (10), em Curitiba, a presidência do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul). O conselho também reúne os governadores de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Em encontro com a diretoria de planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), ficou acertado que a instituição deve estar aliada às políticas públicas da nova gestão. "O banco vai estudar a questão de microcrédito, iniciativa que permite que pequenos empresários possam investir cada vez mais na região do Codesul", afirmou Mauro Eli Leal Pare, coordenador de Relações com Entidades Governamentais do banco.

Para Santiago Gallo, que assume a secretaria-executiva do Codesul, a parceria com o BRDE pode vir ao encontro de metas estabelecidas pelo governador Roberto Requião. "O governo do Paraná apóia os Arranjos Produtivos Locais (APLs) do Estado. Com linhas de crédito do BRDE, é possível o financiamento de máquinas de costura para as pequenas empresas de confecções, atendendo assim o APL de confecções de Cianorte e o de bonés em Apucarana", disse Gallo.

Moda

Representantes dos Estados do Codesul também puderam conhecer as iniciativas promovidas pela Secretaria de Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul em benefício das indústrias têxteis e vestuário no Paraná. Para o evento "Ano do Brasil na França", o Paraná, ao lado dos Estados-membros, estará realizando um desfile institucional do Codesul.

Segundo a consultora de moda Conceição Borges, o Paraná pode levar para a França toda a competência das empresas do Sul do país. "Desfiles de moda na França vão abrir as portas para toda a Europa dos produtos do Codesul", acrescenta.

Galícia

A integração dos países que fazem fronteira com os Estados do Codesul será uma das prioridades do governador Requião. A Junta da Galícia, entidade espanhola que possui cooperação de fronteiras com o norte de Portugal, será o instrumento capacitador para o Codesul a partir deste ano.

Segundo Jesus Maria Gamallo, secretário-geral de relações com a União Européia e cooperação exterior da Junta da Galícia, a integração consiste, antes de tudo, no empenho dos governos federais em concretizar as relações entre os países vizinhos, como no Mercosul.

"Outro fator é a necessidade de os governos em apoiar estruturas descentralizadas de poder para agilizar a integração. Isto está nas cidades, nas entidades, ou seja, as pessoas precisam sentir a integração por si mesmas", argumenta Gamallo.