A briga entre Marcelinho e Mascherano, ontem, pode dar fim ao breve retorno do meia ao Corinthians. Geninho ameaça a dupla com punição, e o resultado sai nesta segunda-feira, após conversa entre os jogadores e o treinador. Contra o Pé de Anjo, há a reprovação de boa parte do elenco.

Barrados do jogo contra o Figueirense, Marcelinho e Mascherano treinam amanhã e domingo, Dia dos Pais, isolados no Parque São Jorge. É o castigo pela confusão. Na segunda-feira sai a decisão sobre o futuro. O volante deve ser reintegrado ao elenco, já o meia… Sua permanência, apesar de o técnico não considerá-lo uma "laranja podre", dependerá de manifestação dos companheiros, entre os quais tem grande reprovação.

"Não tenho sentido insatisfação dos jogadores em relação ao Marcelo, mas isso tem de ser verificado com os próprios companheiros dele", afirmou Geninho, também um pouco irritado com possíveis declarações do meia contra o seu trabalho. "Eu não gosto de trabalhar com suposição, mas claro que, se eu detectar alguma coisa, posso vir a tomar uma atitude definitiva.

Nesta sexta, um dia após a confusão, os esquentados ficaram, lado a lado, na sala de musculação. Deixaram de participar do rachão, coincidentemente com a presença de Ricardinho. Para o técnico, não havia clima para estarem com o grupo.

"Nada de abrir precedentes. Posso ter prejuízos no jogo, porém, mostro que ninguém é insubstituível e que o grupo tem comando. Evito teatro, mas não deixo nada passar em branco", discursou Geninho. "Comigo é assim. Aqui não é casa da mãe Joana", seguiu, mais uma vez ameaçando os briguentos de punição, sem medo de represália no futuro. Sem olhar "cor, nome, nacionalidade, salário.

Mascherano, entretanto, ganhou um forte aliado. Kia Joorabchian, presidente da MSI. Ao Diário Olé, da Argentina, o dirigente garantiu a presença não só do volante, como a de Tevez. "Só saem do Corinthians quando eu deixar o clube. E no momento não tenho planos de ir para outro lugar.

Rotina

Desde a chegada de Geninho ao clube, este é apenas o segundo incidente. Na semana passada, Carlos Alberto e Mascherano discutiram. A era MSI, iniciada em dezembro de 2004, contudo, é bem mais extensa: já teve Carlos Alberto x Tevez; Tevez x Marquinhos; Tevez x Carlão; Carlos Alberto x Marcelo Mattos. O meia também se indispôs com o preparador físico Ricardo Rosa, Hugo e Roger.