A diminuição na confiança do consumidor brasileiro também atingiu as previsões para os próximos meses. É o que mostra a 21ª Sondagem das Expectativas do Consumidor, referente a agosto, e divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O levantamento entrevistou 1.438 chefes de domicílio entre os dias 1 a 22 de agosto desse ano.

Segundo a pesquisa, caiu de 29,6% para 25,6%, de julho para agosto, a parcela dos consumidores entrevistados que apostam em melhora na situação econômica do País nos próximos seis meses. Além disso, subiu de 22,3% em julho para 24% em agosto a parcela dos consumidores que apostam em piora da situação econômica do País nos próximos seis meses.

As perspectivas também não são boas quanto à situação da família dos consumidores. De acordo com a FGV, passou de 52,1% para 46,7%, de julho para agosto, a parcela dos consumidores que acreditam em situação econômica "boa" da família nos próximos seis meses. Em contrapartida, subiu de 6,2% para 7% a parcela dos consumidores entrevistados que apostam em situação econômica "ruim" da família nos próximos seis meses.