Brasília (AE) – O número de reclamações contra as empresas de telefonia celular caiu 14% em agosto comparativamente a janeiro deste ano, informou o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Elifas Gurgel do Amaral, após se reunir ontem com dirigentes das empresas do setor. "Nossa avaliação é de que houve efetivamente melhora na qualidade do serviço, mas os números ainda não chegaram aonde desejamos. Queremos que eles melhorem mais", afirmou.

Segundo Amaral, em janeiro a Anatel registrou 25.306 reclamações, número que caiu para 25.137 em agosto. O porcentual de queda é proporcional ao número de aparelhos existentes em cada mês. Em janeiro, havia 65,6 milhões de aparelhos em funcionamento em todo o País e, em agosto, o número havia pulado para 78,9 milhões, crescimento de aproximadamente 20%.

Amaral disse que, durante a reunião, os dirigentes informaram as medidas adotadas para melhorar a qualidade dos serviços, como o aumento do número de funcionários nas centrais de atendimento, reforço no treinamento do pessoal, otimização dos horários de atendimento com mais atendentes nas horas de maior movimento e reestruturação do sistema de emissão de contas.

Neste último item, segundo Amaral, houve uma queda sensível das reclamações. As queixas por erros de cobrança nas contas de telefone e em relação ao atendimento eram as mais freqüentes na Anatel. Amaral disse também que as empresas estão aprofundando suas pesquisas para identificar quais são os maiores problemas enfrentados por seus clientes.

A Anatel, segundo ele, incrementou a fiscalização nas lojas de atendimento e nos call centers. Desde março deste ano foram abertos 151 processos administrativos para investigar descumprimento de metas de qualidade.