Com a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) pelo IBGE, o Brasil subiu da nona para a oitava posição no ranking das maiores economias do mundo, publicado pelo Banco Mundial, com base no método de cálculo chamado PPP (Paridade de Poder de Compra). É o que informa nota divulgada hoje pelo Ministério da Fazenda. Na lista distribuída por determinação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o PIB brasileiro subiu de US$ 1,66 trilhão para US$ 1,80 trilhão e ultrapassou o da Itália (US$ 1,67 trilhão), se aproximando da economia da França (US$ 1,829 trilhão). Em primeiro lugar no ranking estão os Estados Unidos, seguidos por China, Japão, Índia, Alemanha e Reino Unido.

O método PPP utiliza uma fórmula que calcula a equivalência do PIB de um país em relação ao dos demais. Para isso, utiliza um índice de preços relativos que permite comparar o custo de uma cesta de bens em diferentes países. Isso é necessário porque o preço relativo de diferentes bens e serviços varia entre países devido às diferentes condições de demanda e de oferta, de inflação e de hábitos. O valor obtido ao se utilizar a PPP é, portanto, diferente do nominal ou do ajustado simplesmente pela inflação.

No ranking de PIB nominal, segundo levantamento divulgado ontem pela consultoria Austin Ratings, o Brasil ocupa a 10ª posição.