O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu hoje o bom senso no tratamento das denúncias de corrupção nos Correios.

"As perguntas não podem ficar no ar. A denúncia, é importante investigá-la para que a sociedade tenha a resposta que quer ouvir", afirmou. "Não podemos, para cada denúncia que se faz, fazer uma investigação política, extraordinária, circunstancial, que só deve haver quando as instituições, os órgãos convencionalmente estão obrigados a dar essa resposta não conseguem fazê-lo", afirmou, no entanto.

Ele disse que, "se cada um de nós cumprirmos com o nosso papel, nós não vamos transformar essas centelhas em grandes incêndios". Segundo Calheiros, "o Brasil não quer grandes incêndios".

"O Brasil quer simplificar a vida das pessoas, que se priorize a agenda do crescimento, que se desburocratize, que se faça uma reforma tributária para impedir o crescimento sistemático da carga tributária", disse.

O presidente do Congresso disse ainda que o Brasil quer "que essa coisa dos juros seja compatibilizada com a administração do Tesouro, mas que não engesse como, lamentavelmente, tem engessado a economia nacional".

Calheiros afirmou que está disposto a cumprir o papel e fazer com que essa agenda listada por ele seja cumprida.