O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou, nesta quarta-feira, que é preciso ter "bom senso, equilíbrio e responsabilidade" neste momento de crise. Segundo ele, a melhor resposta que os políticos podem dar à sociedade é aprovar o projeto emergencial de reforma política, que está sendo discutido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

A expectativa dos parlamentares é aprovar o projeto, nesta quinta-feira, na comissão para que ele possa ser analisado pela Câmara dos Deputados. O objetivo dos parlamentares é garantir que as mudanças propostas entrem em vigor nas próximas eleições. Para isso, no entanto, é preciso que o projeto emergencial de reforma política seja aprovado até 30 de setembro.

Renan disse que esse não é o momento para se falar em impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Eu acho que a coisa mais precipitada é nós discutirmos o que vai haver como desfecho das investigações que estão ocorrendo simultaneamente no Congresso Nacional em várias Comissões Parlamentares de Inquérito", disse.

Para o senador, "como as investigações não se concluíram, não tem sentido dizer o que vai haver ou o que vai deixar de haver. Só a investigação indicará o caminho".