A Polícia Federal e o Exército destruíram duas mil armas nesta quinta-feira, dia 19, em Osasco, cidade da Grande São Paulo. Este foi o primeiro lote destruído no estado desde de 15 de julho quando o governo começou a pagar indenizações pelas armas recebidas. Segundo o assessor de imprensa da Polícia Federal de São Paulo, Celso D’arcke Brasil, o estado recebeu 15.678 armas desde o início da campanha. Só na capital, foram mais de 7.500. “Em média a Polícia Federal recebe 500 armas por dia”, ressalta.

De acordo com o assessor, a diferença entre o total de armas entregues e o de destruídas é resultado dos do processo de perícia e registro do armamento entregue. Só depois disso as armas são encaminhadas ao Exército. O volume de armas entregues no Brasil já supera as 55 mil. “Este resultado surpreende positivamente. Esperávamos recolher 80 mil até 23 de dezembro, mas vamos superar esse número”, afirma. Desde 15 de julho, o governo está pagando de R$ 100 a R$ 300 pelos diferentes tipos e calibres de armas. As pessoas que querem devolver armamentos sem registro ou porte precisam retirar antes uma guia de trânsito para se locomover até os postos autorizados pela PF.