O londrinense tem a oportunidade hoje, a partir das 10h, de colaborar com a campanha de desarmamento e entregar armas, inclusive as que estão em situação irregular sem posse, num posto de coleta montado no Hospital de Clínicas (HC), na Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Quem participar da campanha pode receber uma quantia que varia de R$ 100,00 a R$ 300,00 por arma. O coordenador da ONG Londrina Pazeando, Luis Cláudio Galhardi, lembrou que todos os dias, a população pode ajudar a desarmar a cidade entregando armas à Polícia Federal (PF).

Segundo ele, o objetivo da iniciativa é aproximar os postos de desarmamento das comunidades de Londrina por meio de um rodízio de locais de entrega de armas. ?No começo de março, vamos nos reunir no Cinco Conjuntos [região norte] para definir um local na região?, adiantou o coordenador. A campanha nacional de desarmamento, que ocorreu de julho a dezembro de 2004, foi prorrogada por mais seis meses.

De acordo com ele, na cidade a campanha foi intensificada com a criação de um comitê municipal, formado por diversas instituições incluindo a prefeitura, a partir de novembro de 2004. Galhardi disse que até agora 3.004 armas foram recolhidas na cidade, um dos melhores índices do país na proporção de arrecadação ao número de habitantes. Cerca de 5.500 municípios brasileiros estão trabalhando no desarmamento da população. ?As armas recebidas são enviadas ao Exército, responsável pela destruição?, lembrou.

No dia 11 de dezembro do ano passado, o dia ?D? do desarmamento em Londrina, conforme o coordenador, foi realizada uma pesquisa com 35 pessoas que colaboraram com a entrega de armas. Segundo Galhardi, 71% dos londrinenses que entregaram pelo menos uma arma tomaram a decisão por influência da campanha nacional, que no dia arrecadou 71 armas. Outro quesito, de acordo com ele, revelou que a maioria das pessoas participou da coleta porque acha perigoso manter uma arma em casa.

O chefe da Polícia Federal em Londrina, Sandro Roberto Viana dos Santos informou que depois do início da campanha na cidade houve uma freada nos índices de homicídios, que segundo ele, estavam aumentando a cada ano. ?A queda foi de 30 homicídios?, ressaltou. Galhardi lembrou que, no Brasil, a cada 13 minutos uma pessoa é morta com arma de fogo e a cada 7h acontece um acidente envolvendo armas.

Na internet existem várias opções para obter mais informações a respeito da campanha de desarmamento em Londrina e no Brasil. Segundo as recomendações do coordenador, os sites mais indicados são www.londrinapazeando.org.br; www.desarme.org e www.soudapaz.org.br. ?Cada pessoa que toma conhecimento da coleta, pode se tornar um multiplicar repassando a informação para os amigos, parentes e conhecidos?, ressaltou.