John Macdougall/AFP

Os melhores árbitros do planeta estão apitando na Copa do Mundo da África do Sul, assegurou nesta terça-feira o juiz brasileiro Carlos Simon, consultado sobre as polêmicas relacionadas às atuações de seus colegas.

“Na África do Sul estão os melhores árbitros do mundo. Há um ótimo nível de arbitragem, na minha opinião”, disse Simon, em uma entrevista coletiva à imprensa em um centro de esportes de uma escola nas imediações de Pretória.

Sobre o fato de a hegemonia das seleções sul-americanas nesta Copa significar a ausência dos árbitros da região nas partidas decisivas, respondeu com um sorriso: “não importa se tivermos que sair”.

“Queremos o melhor para nossos países na Copa. Estamos felizes de que consigam se classificar”, comentou Simon, de 44 anos, que participa de sua terceira Copa do Mundo, depois da Copa da Alemanha-2006 e de Japão e Coreia do Sul-2002.

Simon é conhecido no Brasil como um xerife por seu rigor.

O brasileiro, que também é jornalista, foi alvo de críticas em seu país justamente por ter se negado a validar um gol do Palmeiras sobre o Fluminense, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro de 2009, que terminou com a vitória da equipe carioca por 1-0, no Maracanã .

Outra história que marca a imagem de Simon é que em apenas uma partida mostrou 17 cartões amarelos, o que deu força a sua fama de árbitro que não deixa passar infrações ou indisciplina.