O caso do Nilmar deve ter um desfecho nesta segunda-feira. Pelo menos é o que esperam os agentes do jogador, dirigentes do Corinthians e até o Lyon.

Em São Paulo, acontecerá uma reunião entre advogados de Nilmar e do Corinthians para definir a situação do atacante. E em Zurique a Fifa pode dar um parecer sobre o caso, atendendo a um apelo do Lyon.

Na reunião que acontecerá em São Paulo, os representantes do jogador exigirão o pagamento de R$ 3,5 milhões de luvas e mais R$ 1,5 milhão de comissão na transação envolvendo Corinthians, MSI e Lyon.

Dirigentes corintianos, agora amparados por um novo advogado, Paulo Rogério Amorety – um especialista em causas envolvendo jogadores e clubes -, apostam em um acordo para que Nilmar volte a treinar com o grupo. Afinal, ele deixou o local de treinamentos na quinta-feira à noite, atendendo a uma decisão de seus representantes.

Apesar do otimismo no Parque São Jorge, agentes de Nilmar querem primeiro uma garantia de que receberão o dinheiro das luvas do jogador para depois proporem um acordo amigável com o Corinthians.

O Lyon, outra parte interessada no caso, aguarda um parecer favorável da Fifa nesta segunda-feira. A expectativa dos franceses é de que a entidade reconheça que o Corinthians tem contrato até o final do ano com Nilmar e assim determine o pagamento de 8 milhões de euros (R$ 22,1 milhões) ao clube francês.

No caso de o clube paulista não efetuar o pagamento, se o parecer da Fifa for favorável aos franceses, o jogador terá de se reapresentar ao Lyon.

Apesar da batalha jurídica envolvendo Nilmar, dirigentes do Internacional anunciaram neste sábado que continuam interessados na contratação jogador. O clube gaúcho tem um proposta para levar o atacante e também o volante Magrão, do Corinthians.

Em Jarinu, no interior de São Paulo, o técnico Leão aguarda a definição do caso para escalar o time que estréia no Paulistão contra a Ponte Preta, quarta-feira, no Pacaembu. Neste sábado, ele fez um treino fechado na Chácara Santa Filomena.