A Congregação para a Evangelização dos Povos destacou nesta terça-feira (24) os esforços dos bispos católicos dos Estados Unidos contra a proposta de construção de um muro na fronteira com o México. "Não são os muros, mas as pontes, que trarão soluções justas para os desafios do novo milênio", afirmou a congregação vaticana num comunicado. "Mais do que os muros materiais, são mais preocupantes outros muros: a intransigência, a intolerância e a falta de uma efetiva negociação entre os governos das nações envolvidas nesse fenômeno" da emigração, acrescentou.

A congregação destacou a visita que um grupo de bispos americanos promoverá à fronteira dos Estados Unidos com o México de hoje até domingo a fim de tratar do problema da imigração ilegal. A delegação se reunirá com agências e entidades que atuam na defesa dos emigrantes e "buscará reforçar a presença da Igreja na fronteira e garantir em particular a segurança dos menores de idade, além das vítimas do tráfico de pessoas", informou.

A congregação lembrou que os bispos do México já denunciaram a criação do muro por considerar que "ele não apresentará jamais uma solução justa para enfrentar o fenômeno da migração". O Congresso americano aprovou um projeto de lei que prevê a construção da barreira de 1.125 quilômetros ao longo de sua fronteira de 3.000 quilômetros com o México ao custo total de US$ 7 bilhões para deter a imigração ilegal. O presidente americano George W. Bush prometeu promulgar a lei.