O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, deve ir ao Equador, em data ainda não confirmada, para colaborar no enfrentamento da crise política e institucional que resultou no afastamento de Lucio Gutiérrez da presidência daquele país.

Segundo nota do Itamaraty, Amorim fará parte de uma missão da Comunidade Sul-Americana de Nações "para dialogar com as forças políticas equatorianas e colaborar na construção de um clima de entendimento que leve à plena normalização e institucionalização do quadro político-jurídico e à paz social para todos os equatorianos". Também fazem parte da missão os chanceleres do Peru e da Bolívia.

O ex-presidente Lúcio Gutiérrez continua na Embaixada do Brasil em Quito, capital do Equador, esperando o salvo-conduto que vai permitir sua saída do país em segurança. Gutiérrez recebeu asilo político do Brasil.