O programa de certificação Produção Integrada de Frutas (PIF), lançado em novembro do ano passado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), em parceria com o Ministério da Agricultura e produtores nacionais, vai quintuplicar a exportação brasileira de frutas no governo Lula, hoje de cerca de U$ 200 milhões por ano, contra U$ 1 bilhão por ano do Chile. A informação foi dada hoje à Agencia Brasil pelo presidente do Inmetro, Armando Mariante. Segundo ele, embora seja voltado à exportação, o programa beneficia também os consumidores internos, na medida em que a meta é que as frutas destinadas ao mercado brasileiro tenham o selo de qualidade

No mercado externo, o programa facilita a colocação do produto brasileiro em mercados sofisticados como a França, em função do selo de qualidade Inmetro. Mariante disse que o PIF cria condições para a iniciativa privada investir e exportar com a garantia de que seus produtos serão aceitos no exterior. A certificação comprova que a fruta foi produzida na época certa, com sementes de boa procedência, sem produtos agroquímicos e fertilizantes cancerígenos, que a colheita foi efetuada na época certa e a embalagem é correta. A primeira fruta a ganhar o selo Inmetro foi a maçã de Santa Catarina. No primeiro semestre deste ano, serão incluídas a manga e o papaia, revelou Mariante.