O deputado Cezar Schirmer (PMDB-RS) recomendou há pouco, no Conselho de Ética da Câmara, a cassação de mandato do deputado João Paulo Cunha (PT-SP).

Schirmer é relator do processo disciplinar contra João Paulo. O deputado petista foi acusado de envolvimento no suposto esquema do "mensalão" ? pagamento de mesada aos parlamentares.

"De todos os processos analisados pelo conselho até agora, a materialidade do fato atribuída ao representado é a mais indiscutível, incontroversa, incontestável e indubitavelmente comprada", afirmou o relator do processo, para quem o contato entre João Paulo Cunha e o empresário Marcos Valério era intenso.

"Ao receber presentes e visitas inusitadas, o representado colocou seu interesse pessoal a frente do interesse público", complementou Schirmer, que neste momento lê o parecer no Conselho de Ética. No documento, ele afirma que João Paulo participou de reuniões com Marcos Valério para tratar de interesses privados e utilizou recursos repassados por ele em proveito político próprio.

Em depoimento anterior, o deputado petista, ex-presidente da Câmara, admitiu ter sacado R$ 50 mil das contas do empresário Marcos Valério no Banco Rural. Segundo ele, o dinheiro foi repassado a pedido do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e usado no pagamento das pesquisas de opinião em Osasco, região metropolitana de São Paulo.